ADMINISTRAÇÃO  


Queda se repete em outros tipos de I&E ( 20/06/2013 )

Queda se repete em outros tipos de I&E

Percentualmente a maior retração foi nas entradas do papel MWC, quando comparados os primeiros quatro meses do ano. Foram importadas 13,8 mil toneladas entre janeiro e abril deste ano, 38% menos que as 22,3 mil toneladas de igual período de 2012. Em relação ao quadrimestre anterior, setembro a dezembro de 2012 (20,5 mil toneladas), a queda foi de 32,5%. A presença de MWC estrangeiro no mercado brasileiro vinha crescendo anualmente, registrando 35,3 mil toneladas em 2010, 52,5 mil toneladas no ano seguinte e fechando 2012 com 61,5 mil toneladas.
A presença de papéis tipo ofsete produzidos no exterior abastecendo o mercado nacional também vem diminuindo. Dados da Secex mostram que as importações destes itens caíram de 94,1 mil toneladas em 2010 para 90,1 mil toneladas em 2011, com novo recuo no ano seguinte, para 50,8 mil toneladas. Analisando apenas os quatro primeiros meses, o volume deste ano (13 mil toneladas) ficou 5,9% abaixo do importado no mesmo período do ano passado (13,8 mil toneladas). A retração chega a 28,5% se comparado ao total do último quadrimestre de 2012 (18,2 mil toneladas).
O papel cortado, cut size, é o segmento com menor presença de produto estrangeiro do grupo acompanhado pelo NewsPaper. De acordo com a Secex, foram importadas 6,8 mil toneladas de cut size entre os meses de janeiro e abril deste ano. Exatamente a mesma quantidade apurada em igual período do ano passado. Neste grupo, a participação das importações também é descendente. O resultado anual caiu de 32,4 mil toneladas em 2010 para 29,4 mil toneladas em 2011 e novamente no ano passado, que somou 20,5 mil toneladas.
No segmento cartão, as importações até abril somaram 12,3 mil toneladas 16,3% menos que as 14,7 mil toneladas registradas no primeiro quadrimestre de 2012. Apesar dessa queda, a presença do fornecedor externo de cartão apresenta histórico anual crescente. Em 2012 foram importadas 34,8 mil toneladas de papel cartão. Em 2011, a Secex computou a entrada de 31,3 mil toneladas de cartão, o que corresponde a um aumento superior a 25% no comparativo com 2010, que totalizou 24,9 mil toneladas.

 
 VOLTAR