ADMINISTRAÇÃO  


Percepção do brasileiro sobre a comunicação impressa ( 23/12/2014 )

Pesquisa realizada pelo instituto Datafolha para a campanha Two Sides Brasil mostrou que o brasileiro prefere ler livros, revistas e cartas impressas, mas na leitura do jornal já tende mais ao meio eletrônico. A maioria dos entrevistados considera o papel o meio ideal para guardar documentos importantes e tem pouca informação sobre a reciclagem de papel no Brasil, assim como sobre o tamanho das florestas e os impactos que sofre dos segmentos industriais.

O estudo aplicado no Brasil reproduziu a pesquisa realizada pela Two Sides na Europa e nos Estados Unidos sobre a percepção dos consumidores sobre impressão e uso do papel. A pesquisa Datafolha ouviu 2.074 pessoas acima de 16 anos, entre os dias 4 e 8 de agosto, em 135 municípios, entre regiões metropolitanas e cidades do interior. Segundo o instituto, a margem de erro máxima para o total da amostra é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, considerando um nível de confiança de 95%.
Os entrevistados da amostra responderam perguntas sobre sustentabilidade – florestas e reciclagem – e sobre a relação da comunicação impressa em comparação ao meio eletrônico – meios de leitura e guarda de documentos. Também foram questionados quanto à lembrança de propagandas sobre o uso sustentável de papel da comunicação impressa.

“Os principais números comprovam uma realidade que já intuíamos: o brasileiro prefere fazer suas leituras e comunicações em papel e também confia mais nessa mídia para conservar seus documentos importantes”, avalia Fabio Arruda Mortara, presidente do Sindicato das Indústrias Gráficas no Estado de São Paulo (Sindigraf-SP), entidade que coordena a implementação da Two Sides Brasil, com apoio da Associação Nacional de Jornais (ANJ), Associação Nacional dos Editores de Revistas (Aner) e outros representantes da cadeia do papel e da impressão.

Na opinião de Mortara, a pesquisa confirmou também a necessidade de uma campanha como a Two Sides Brasil. “Apenas 20% dos entrevistados já tinham visto alguma propaganda sobre a sustentabilidade do papel e da comunicação impressa. É fácil inferir que faltam informações confiáveis, o que deixa brechas para mitos que alimentam a prática de greenwashing, quando empresas preocupadas em reduzir seus custos recorrem a argumentos supostamente ecológicos para cessar o envio de extratos, boletos e outras correspondências de interesse do consumidor. Temos a missão de desconstruir esses mitos”, disse ele.


 
 VOLTAR