ADMINISTRAÇÃO  


Perspectiva de recuperação anima o setor ( 06/07/2016 )

A evidente melhora no ‘humor’ da economia brasileira nos últimos meses dá ânimo aos setores e deve contribuir para retomada do crescimento no segundo semestre, período tradicionalmente mais aquecido para o mercado de papéis. É claro que cada segmento econômico tem seu tempo de ação e reação, mas a percepção geral é de que a trajetória descendente foi interrompida e essa perspectiva é uma boa notícia para os negócios ligados ao papel e à produção gráfica.

Os indicadores da economia em geral mostram resultados ruins do ano anterior e dos primeiros meses deste ano. Mas já temos sinais de recuperação das atividades tanto na produção e vendas domésticas de papéis, quanto na indústria gráfica. Considero ainda que os próximos meses comprovarão que a mudança de rumo já aconteceu. Há uma melhora no ambiente de negócios. A queda foi contida e a volta ao crescimento vai depender da força da economia real e do poder de aceleração que coletivamente formos capazes de acionar.

Não podemos ignorar as transformações internas e externas que os momentos de instabilidade provocam. Períodos de crise são momentos que exigem rever práticas, aperfeiçoar processos, melhorar a gestão e primar pela eficiência. As adversidades trazem oportunidades e dificuldades. Uns focam na primeira, outros sucumbem à segunda. Assim, é provável que tenhamos um rearranjo, um reequilíbrio que está em curso.

Seja como for, a excelência é – e será sempre – o diferencial de sucesso e longevidade em qualquer segmento. Os distribuidores de papéis têm função estratégica na cadeia de negócios, por atender com a variedade de produtos, nas quantidades adequadas, com a qualidade e a agilidade necessárias ao bom desempenho da indústria gráfica e editorial. Essa é a vocação do segmento e onde deve estar o foco e objetivo das ações e decisões de cada dia.

Quem enxergou a oportunidade de aprendizado no passado recente, deve colher resultados promissores no futuro próximo.


Vitor Paulo de Andrade
Presidente do Conselho Diretor



(editorial do NewsPaper Ed. 51 - julho 2016)

 
 VOLTAR