ADMINISTRAÇÃO  


Reconhecendo a certificação ( 07/03/2015 )

O papel é um produto natural, renovável e com muitos atributos sustentáveis, que podem ser comprovados através das certificações. Esse mecanismo de identificação já está presente no dia a dia dos consumidores e tem sido cada vez mais reconhecido.

Uma das certificações utilizadas no Brasil é do Forest Stewardship Council (FSC), que tem três tipos de certificados: o manejo florestal, garantindo que a floresta é manejada de forma responsável; a madeira controlada, que se aplica no controle de madeira não certificada; e a cadeia de custodia, que garante a rastreabilidade desde a produção da matéria-prima que sai das florestas até chegar ao consumidor final. É neste último que estão todas as empresas ligadas à comercialização do papel e à produção gráfica.

Segundo o FSC, o Brasil conta com 1.035 certificados na modalidade de cadeia de custódia. Estas certificações são divididas por tipo de produto e uma mesma empresa pode ter certificação de mais de um produto. De acordo com a FSC, 139 empresas têm certificação para o produto papel; 406 para embalagens de papel; 519 para artigos de papelaria; 525 para materiais impressos; e, 26 para papel ondulado e papel cartão.

Para que a certificação seja cada vez mais reconhecida e valorizada, a FSC lançou no início de fevereiro a primeira campanha focada no consumidor final no Brasil. Com o filme chamado “Procure o selo”, divulgado no site oficial do FSC e nas redes sociais, a instituição quer incentivar a população a exigir o selo de origem de produtos florestais como móveis, jornais, revistas, embalagens e lápis.

Este é um esforço que algumas empresas do setor já vêm fazendo. A Tetra Pak, por exemplo, divulgou que em 2014 produziu 9,7 bilhões de embalagens no Brasil com o selo do FSC, um incremento de 12,3 % em comparação com o ano passado.

 
 VOLTAR