ADMINISTRAÇÃO  


Consumo interno em baixa afeta produção ( 29/12/2015 )

Consumo interno em baixa afeta produção, mesmo com alta na exportação

Os fabricantes nacionais pisaram no freio na produção de papéis para imprimir e escrever (I&E) e focaram nas exportações para compensar o fraco mercado interno. A produção nacional de papéis caiu 3,8% e a venda doméstica recuou 10,4%, enquanto o volume destinado ao exterior cresceu 9%, no acumulado de janeiro a outubro de 2015, quando comparado ao mesmo período do ano anterior. A diferença em volumes corresponde a 84 mil toneladas que deixaram de ser produzidas e outras 147 mil toneladas não absorvidas internamente, sendo que o incremento das exportações foi de 65 mil toneladas.

Conforme a edição 18 do boletim mensal Cenários Ibá, no resultado parcial dos dez meses de 2015, foram produzidas 2.093 mil toneladas de papéis para imprimir e escrever, das quais 1.263 mil toneladas foram para vendas domésticas e 789 mil toneladas seguiram para exportação.

O documento apresenta também o volume de importações dos papéis de I&E, que passou de 498 mil toneladas de janeiro a outubro de 2014 para 303 mil toneladas no mesmo período de 2015. A queda de 39,2% representa menos 195 mil toneladas de papéis para imprimir e escrever importados no mercado brasileiro em 2015 no comparativo com 2014.

Considerando a redução na produção e na importação, o Brasil teve consumo aparente desses papéis 17,6% menor nos dez meses de 2015 do que em igual período do ano anterior. O consumo aparente é o resultado da soma de produção mais importação, menos a exportação. Em volume, a oferta de papéis para impressão e escrita disponíveis ao consumo caiu de 1.951 mil toneladas para 1.608 mil toneladas. O saldo do ano deve seguir em queda acentuada, já que as importações de novembro atingiram novo recorde negativo.

 
 VOLTAR