ADMINISTRAÇÃO  


Certificações e selos destacam distribuidores ( 26/08/2016 )

São vários os mecanismos de reconhecimento das empresas quanto às suas práticas e operações ou seu engajamento em ações socioambientais. Em geral, de adesão voluntária e espontânea, as certificações e selos têm sido cada vez mais valorizados pelos mercados e pelos consumidores. No segmento de distribuição o destaque é para as certificações ambientais, que atestam a origem do papel de florestas plantadas e com manejo sustentável. Mas, o campo de atuação das distribuidoras de papel associadas à ANDIPA vai de prêmios de excelência gráfica e editorial a ações sociais ligadas à criança, saúde e educação.

Na área ambiental, as certificações são atribuídas por organizações independentes, como o FSC (Forest Stewardship Council) e o PEFC (Programme for the Endorsement of Forest Certification Schemes), representado no Brasil pelo CERFLOR (Programa Nacional de Certificação Florestal). No caso da FSC, do total de 1.087 certificados de cadeia de custódia emitidos no Brasil, 773 são da área de papel (que envolve empresas como distribuidores, gráficas e editoras).

De acordo com o relatório anual 2016 do setor de árvores plantadas, divulgado em agosto pela Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), no Brasil, 5,5 milhões de hectares com plantios de árvores são certificados na modalidade manejo florestal, sendo 3,2 milhões de hectares de área de árvores plantadas. “A certificação garante ao consumidor que o produto adquirido (papel, painéis ou pisos laminados) utiliza madeira de origem legal e leva em consideração aspectos ambientais, sociais e econômicos.” A afirmação é da presidente-executiva da Ibá (Indústria Brasileira de Árvores), Elizabeth de Carvalhaes, em artigo publicado na edição de junho de 2016 da Revista O Papel.

“Ao certificar processos e produtos, as empresas aumentam sua credibilidade e diminuem seu risco reputacional, por isso produzir com responsabilidade socioambiental deixou de ser uma opção e passou a ser uma condição de mercado", completa Aline Tristão, Diretora Executiva do FSC Brasil. Segundo ela, da área total de 7,8 milhões de hectares de árvores plantadas no Brasil, 34% pertencem às empresas do segmento de papel e celulose - e a grande maioria das plantações brasileiras que fornecem matéria-prima para a produção de papel e celulose já são certificadas pelo FSC®.

Reconhecimento

A mais comum das certificações entre os distribuidores de papéis associados à ANDIPA é a FSC. Para utilizar o selo FSC® em seus produtos, as empresas precisam obter o certificado de cadeia de custódia, que garante a rastreabilidade de toda a cadeia produtiva, da matéria-prima que sai das florestas até chegar ao consumidor final. De acordo com sondagem realizada pelo NewsPaper, as associadas AMV Papéis, Antalis, Labate, Opus, Passalacqua, Rio Branco, Samab e Xapuri têm o selo FSC. A Samab tem também o CERFLOR e a Antalis possui ainda um sistema próprio de classificação de papéis, chamado Green Star System.

Engajadas em suas comunidades, algumas empresas exibem outros instrumentos de reconhecimento. A Rymo da Amazônia consolidou suas ações sociais em junho, quando foi credenciada como Empresa Amiga da Criança pela Fundação Abrinq. A Rio Branco priorizada o programa menor aprendiz e também já foi contemplada com prêmios setoriais.

Outra empresa reconhecida pela qualidade do trabalho desenvolvido é a AMV Papéis, que recebeu quatro vezes o Prêmio de Excelência Gráfica Jorge Salim. A Passalacqua informou que desenvolve várias ações sociais na região de Ribeirão Preto/SP.

 
 VOLTAR