ADMINISTRAÇÃO  


Rymo da Amazônia ( 16/03/2022 )

Associada desde a criação da Andipa, há vinte anos, a Rymo da Amazônia vai participar mais ativamente da atual gestão, como membro em dois órgãos da entidade, o Comitê de Auditoria e o Conselho do Setor, o último em fase de implementação. Como associada, a Rymo valoriza as informações e o suporte fiscal e tributário oferecidos pela Andipa, como disse o Coordenador de Marketing e Novos Negócios, Maico Monte, representante da empresa no Comitê de Auditoria.

Há 35 anos no mercado, a Rymo nasceu para atender a indústria gráfica, inicialmente com filmes e em seguida abrangendo toda a diversidade de materiais para os segmentos de comunicação visual e sublimação, além da área de papelaria. Hoje, a empresa oferta papéis revestidos e não revestidos (para fins comerciais e editoriais) e papéis para embalagens, além do cut size. De acordo com o Coordenador, o negócio de Papel representa mais de um quarto da operação da Rymo, sendo a maior das áreas de negócios da empresa, tanto em volume de faturamento, quanto em espaço físico e logística.

Tendo em torno de 110 funcionários, a empresa atua sempre com foco em melhorar a experiência do cliente. “Buscamos otimizar os serviços, através de parceria com marketplace e e-commerce, investindo em ampliação de área e aumento da frota de caminhões”, disse Monte, destacando os esforços constantes no desenvolvimento de pessoas, através de treinamento e capacitação da equipe.

A logística complexa é um desafio contínuo para a empresa, que atende a toda a Região Norte e também o Maranhão. Com mercado relativamente pequeno, no qual os principais clientes são abastecidos diretamente pelo fabricante, a distribuidora se desdobra para atender a indústria gráfica, algumas que ficam de 2 a 3 dias, ou até mais, de distância de barco de Manaus. A peculiaridade logística da região desafia também o acesso aos produtos. Maico Monte reforça as dificuldades de importação diante dos preços do frete. Importando via Panamá, a empresa viu o frete da Ásia saltar do patamar de US$ 2,7 mil o contêiner para acima de US$ 25 mil durante a pandemia. Segundo ele, os valores atuais ainda superam US$ 11 mil.

Apesar do cenário geral e das dificuldades de abastecimento, sobretudo do papel revestido, as eleições deste ano devem trazer oportunidades, tanto para o gráfico quanto para o distribuidor. Conforme Montes, outros tipos de papéis podem ganhar espaço nas campanhas eleitorais, além da linha de comunicação visual.



 
 VOLTAR